quarta-feira, 28 de fevereiro de 2007

Resumo de DVD: The Corporation

Documentário Premiado

por Giuseppe Regina

As corporações eram insignificantes 150 anos atrás, todavia, hoje, elas são onipresentes e dominantes no cenário mundial. Interferem na política, cultura, economia e destinos de quase todos os países. O filme The Corporation mostra a natureza, a evolução, o impacto e o prognóstico do futuro das corporações. No início, as empresas eram personificadas pelos seus donos, que eram responsabilizados por qualquer erro cometido no âmbito de suas atividades. Entretanto, no fim do século XIX, as corporações tiraram vantagem da 14ª emenda da Constituição Americana, permitindo assim que as corporações se tornassem pessoas jurídicas com limitada responsabilidade recaindo sobre os donos das mesmas. Portanto, as corporações passaram a se servir como escudos para que seus donos e gestores tomassem decisões sem terem que prestar contas, até que eclodisse a crise de confiança que abalou algumas grandes corporações ao redor do mundo, como por exemplo, a ERON, WORLDCOM, PARMALAT e etc.

O documentário afirma que as corporações se vangloriam que estão sempre criando produtos que melhoram a vidas das pessoas e por isto preenchem seu objetivo de “responsabilidade social”, mas na verdade o único objetivo de uma corporação é maximizar a riqueza dos seus acionistas, e por isto produzem lucros crescentes ao longo do tempo. Para atingir este objetivo, as corporações externalizam custos que não estão diretamente ligados a sua produção ou seu ambiente interno. Por exemplo, as montadoras de automóveis produzem milhares de carros anualmente, porém não são responsáveis por construir estradas ou alargar as existentes para evitar congestionamentos. O Estado é quem é o responsável por resolver tal impasse. Entretanto, estas mesmas corporações que diziam que melhoravam a vida das pessoas, tinham dificuldades de lidar com a qualidade de vida de seus funcionários. As corporações tomavam decisões objetivando pagar salários mais baixos, e quando isto não era possível, transferiam sua produção para países com mão de obra barata, permanecendo nestes países até quando a mão de obra ficar caro, partindo então para outro país com mão de obra barata e assim sucessivamente. Inclusive, muitas corporações já utilizaram mão de obra infantil por causa do seu baixo custo.

Segundo o filme, as Corporações também tomavam de decisões que acarretava danos à saúde do ser humano ao longo do tempo. Foi a partir de 1940, que novos produtos químicos foram criados que se caracterizavam pelo baixo custo e fornecimento ilimitado. Por exemplo, foi criado o pesticida DDT que foi largamente utilizado na agricultura e na desinfecção de pessoas e lugares. Porém, depois de vários estudos ao longo do tempo, verificou-se que o pesticida DDT e outros produtos químicos causavam problemas para a saúde do ser humano e até mesmo a morte. Muitas das corporações que desenvolveram tais produtos químicos, tentaram reduzir os risco deste produtos para a saúde do ser humano, e divulgavam que tinham conseguido tal proeza, porém a maioria das corporações sabiam que ainda assim seus produtos causavam danos a saúde das pessoas que utilizavam direta ou indiretamente seus produtos.

Não só as corporações criavam produtos que faziam mal ao ser humano, mas também se descuidavam dos animais. Elas se utilizavam de animais para testar seus novos produtos, e alguns destes produtos eram aprovados para utilização ou consumo pelos seres humanos, apesar das corporações terem conhecimento de riscos a saúde do animal e um risco potencial para intoxicar seres humanos. Um exemplo disto, foi a vacina desenvolvida pela Monsato para aumentar a produção de leite nas vacas do sul dos EUA. Apesar da empresa saber que a vacina trazia riscos para as vacas, ela omitiu este fato para os produtores e os consumidores. Consequentemente, os produtores precisavam administrar antibióticos nas vacas para que as mesmas não desenvolvessem infecções e, por conseguinte, as pessoas consumiam o antibiótico indiretamente ao beber o leite.

As corporações também afetavam negativamente o meio ambiente, denuncia o documentário. As mesmas extraem recursos da natureza, processa-os em forma de produtos e devolve para a natureza em forma de dejetos industriais, além do lixo produzido pelos consumidores destes produtos. O sistema de suporte a vida do planeta está morrendo pouco a pouco, o efeito estufa é um exemplo disto. As corporações não estão se esforçando para mudar este quadro de tragédia ambiental. Por exemplo, os EUA, por solicitação de suas corporações, não assinaram o Protocolo de Kyoto, que prevê a redução de emissão de gases tóxicos na atmosfera, e este é um problema que será deixado para as futuras gerações resolverem. As corporações sempre calculam o custo/benefício para tomar qualquer decisão, neste caso é mais barato pagar multas ou acordos do que o custo de mudar processos e/ou desenvolver novas tecnologias para prevenir esta situação.

Em determinado momento, o documentário expõe o que ele chama de “Princípios Monstruosos”, comentado que a corporação é uma instituição que segue princípios errados do ponto de vista moral e ético. Entretanto, o mesmo afirma que as corporações são formadas por profissionais que tem elevada noção de moral e ética, e por que eles não conseguem mudar esta cultura das corporações? A resposta é que estes profissionais temem serem demitidos. Portanto, estes profissionais têm que continuar a fazer o que é moralmente errado, se quiser continuar a trabalhar em determinada corporação. Um exemplo chocante foi o relato de um broker que afirma que “existem oportunidades na devastação” se referindo ao ataque de 11 de setembro às torres gêmeas, e assim que soube do acontecimento perguntou “como está nossa posição de ouro?”. Isto é conseqüência dos “Princípios Monstruosos” que obriga aos profissionais produzirem lucros crescentes a qualquer custo.

Entretanto, esta busca por lucros crescentes não está restrita só aos profissionais das corporações e seus donos majoritários. Com a pulverização das bolsas de valores muitas pessoas de moral e ética exemplares são donos de pequenas porções destas corporações, e todos elas querem que valor das ações cresçam e que a corporações paguem dividendos dos seus lucros. Será que os pequenos investidores vão exigir mudanças na forma das corporações fazerem negócios? Existe lucro moral? As aposentadorias privadas estão calcadas neste cenário, quem vai querer por em risco sua aposentadoria privada? Este é um paradoxo que o mundo capitalista terá que resolver. Em outra vertente, as corporações estão patenteando genes humanos, filtram informações do público, influenciam governos e insuflam guerras entre outros pecados da moral e da ética. Como lidar com estes todos estes desvios de condutas se as economias precisam dos empregos ofertados pelas mesmas e os governos precisam recolher impostos para aplicar em políticas públicas?

Em resumo, as corporações são monstruosas em sua essência para poder atingir seus objetivos de gerar riqueza a seus acionistas (tanto os majoritários como os minoritários). Além disso, as corporações vivem em um ambiente hostil a sua existência e travando disputas jurídicas de toda sorte, porque faz mal aos seres humanos, aos animais, ao meio ambiente e não é condescendente com seus empregados. Claro que as corporações são monstruosas, porém existe um relacionamento simbiótico entre a sociedade, o Estado e as corporações que nunca deixará de existir, pois cada um depende do outro para existir. Portanto, deve haver limites para as corporações e estes limites têm que ser impostos pelo mercado, através da bolsa de valores, e pela sociedade, através do consumo consciente.

40 comentários:

aninhageriz disse...

Excelente seu comentário sobre o filme, me ajudou muito no meu trabalho universitário.

Anônimo disse...

Vlw mesmo...
Muito bom...
Agora vou ter uma base melhor para minha resenha
Obrigado!

Anônimo disse...

Muito obrigado me ajudou a entender melhor o filme

Anônimo disse...

Oii...
Ótimo teu resumo...o melhor que eu li desse documentário...vai me ajudar muito na minha resenha...
Abraço :)

Marta disse...

ótimo texto, passarei como introdução do filme, para meus alunos, para realização de um trabalho

fabianopromessajovem disse...

Belo comentário que foi de suma importância para meu resumo crítico . Parabéns

julieta disse...

Muito bom, pura realidade! Valeu me ajudou muito

Psicopatos disse...

Muito bom cara, obrigado.
Esse seu resumo está me ajudando muito no meu trabalho

Kahena Vasconcellos disse...

me ajudou muito a esclarecer alguns pontos sobre o documentario.

Anônimo disse...

Adorei seu resumo, muito bom me ajudou bastante.

emmanuel disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
davis marcel disse...

ainda bem q consegui axar esse resumo me ajudo de mais...tenho prova hj sobre esse filme...brigadao :D

Anônimo disse...

Muito bom o comentário! Completo. Quem quiser tomar como base para elaboração de uma síntese esse é o conteúdo certo. Não é plagear, mas é para assistir o filme já com a base de sua visão para elaborar o seu próprio material. Muito bom!

MOREIRA disse...

Excelente contribuição!!! um resumo objetivo e imparcial, que me servirá de indispensável apoio para o meu trabalho acadêmico.

Parabéns e origado,

Henrique B disse...

Boa análise!

Anônimo disse...

sou estudante de jornalismo e esse documentário vai ser um dos assuntos da prova.Seu resumo está muito bom, adorei!
ampliou meu conhecimento
beijos

Lytta disse...

Me ajudou bastante a entender melhor o filme e preparar minha resenha também! Obrigada!

Sabrina disse...

Adorei seu comentário sobre o filme, me ajudou muito no relatório que tive que fazer na faculdade.

-Ric! disse...

Ótima informação, me ajudou bastante também.

Anônimo disse...

Muito claro esse resumo, vai mim ajudar muito na elaboração da minha resenha...

Anônimo disse...

obrigado seu comentario me ajudou bastante no trabalho da faculdade.

Anônimo disse...

Antes ler este resumo, do que assistir ao filme... Muito obrigado ajudou bastante .

Lenilton disse...

Valeu mesmo, agora entendi qual a mensagem do documentário.

Eduardo Kühn disse...

Maçãs podres que são citadas no início do documentário significa as grandes empresas norte americanas que abalaram de alguma forma o mercado financeiro

Anônimo disse...

O seu comentário sobre o filme foi muito interessante,o jeito como vc interpretou o filme e as corporações foi genial.Parabéns !

Anônimo disse...

Parabéns pelo Texto. Foi de grande ajuda!

Anônimo disse...

Nss se eu tivesse lido esse texto antes da prova eu teria tirado 10... o professor pegou exatamente o que vc escreveu

Anônimo disse...

que bom

Rhaamysson disse...

parabens cara...
excelente resumo, me ajudou bastante a entender melhor o documentario !!!

by: BCR

Anônimo disse...

Muito bom esse resumo, me ajudou a compreender melhor o filme, sua visão sobre ele foi fantastica

Anônimo disse...

muito bom!! valeu!! agora vou poder fazer meu vestibular entendendo melhor o filme...!

Anônimo disse...

Muito bom comentario critico sobre o documentario. Me ajudou muito.
Parabens...

Anônimo disse...

excelente comentário!!!!!!!!
me ajudou muito!
obg e fk com Deus!

Edna disse...

Adorei o seu Resumo.Contribuirá para o meu desempenho em uma disciplina na faculdade.Clareou as minhas idéias sobre o documentário.Obrigada!

Edna disse...

Adorei o seu Resumo.Contribuirá para o meu desempenho em uma disciplina na faculdade.Clareou as minhas idéias sobre o documentário.Obrigada!

Anônimo disse...

Muito bom este comentário.
foi uma boa ajuda! obg.
abraço :)

Marilia Coltri disse...

Excelente comentário! Como tenho lido muitos ultimamente posso dizer que esses é um dos mais completos. Realmente ajuda nos trabalhos acadêmicos. Mas convenhamos, caros estudantes, não cometam o crime de plágio. Utilizem-se dos comentários tão bem colocados do Sr. Giuseppe Regina, postado no blog do Sr. Cristovão Pereira, mas garantam a autoria de quem é de direito. Plagiar é crime e a Lei é a 9610 de 19/02/1988. Não dá cadeia, ainda, mas pode garantir um ZERO bem redondo no seu trabalho, com muitos que eu estou dando, aos meus alunos plagiadores. Não cometam, tão pouco o "pasticho" que é a mera troca de vocábulos. Isso é vergonhoso. Plagiar dois, três sites para entregar menos de vinte linhas para o professor é vergonhoso. Acredite na sua capacidade e dê as referências das suas citações. Não tome prá si o que não é seu. Seja ético!!!
Profª Marilia Coltri.

Anônimo disse...

Muito bom seu comentário... pena que tenha gente que copie exatamente seu texto para colocar em trabalhos universitários! O bom é que o professor descobre e da a nota que este tipo de indivíduo merece: zero!

Fora isso, tenho que concordar com sua opinião de que muitas corporações tem essa índole maligna guiada pela ganância humana. Mas o bom é que nem todas as corporações são assim, e que outras, apesar de gananciosas, também vêem a possibilidade de obter lucro sem apelar à quebra de princípios éticos, morais e ambientais corretos.

Anônimo disse...

Muito bom mesmo... Assistir o comentario em sala de aula, mais não entendi quase nada... após ler este breve resumo... conseguir assimilar bem mais o conteudo... Muito bom... agora sim, consigo reedigir uma analise critica deste, conforme a professora pediu!!...

Anônimo disse...

ótimo resumo me ajudou bastante no meu trabalho