quarta-feira, 5 de novembro de 2008

Um momento histórico

Estamos felizes por este momento histórico que estamos vivendo.
Talvez, muitos não tenham tido tempo de analisar a importância da
eleição de Barack Obama para presidente dos Estados Unidos. Um país
que sempre liderou a democracia e os direitos humanos, passou por um
período de trevas, conduzido por um político pequeno e mesquinho, com
uma visão egoísta do papel da maior nação do mundo. Vimos o tripé de
sustentação da nação americana: ideais, prosperidade e força ser
reduzido apenas à força bruta. Quando não acreditávamos mais nesse
país, vemos o povo americano dar uma lição fantástica de luta pelos
seus ideais. Um dos países que mais teve crises raciais, elegeu
democraticamente, e de forma arrasadora, um presidente de origem
negra. Fantástico esse povo americano, que podemos em muitos instantes
criticar, mas a quem temos de respeitar.

Que ele tenha sorte na condução da política americana e que faça os
Estados Unidos voltarem a ser respeitados, recuperando uma liderança
que conquistaram no passado e da qual o mundo inteiro depende para sua
sobrevivência. Que os tempos de trevas tenham partido de vez. Longa
vida a você Barack Obama!
Seu discurso de vitória foi inspirador e digno de um líder e um
estadista.

3 comentários:

Thiago Braz disse...

Realmente.. tenho o mesmo sentimento em relação à eleição do novo presidente americando. A atitude e postura do povo americano, que até há algum tempo hostilizava os negros, mostrou que tem maturidade para serem realmente uma potência mundial.
Ficaria extremamente feliz se um dia o nosso povo tivesse uma conscientização e interesse em eleger o melhor para nosso país.
Quem sabe um dia..

Anônimo disse...

Vc é Bobama também?

Bobamas.

É de Federico Jiménez Losantos, do jornal El Mundo, da Espanha, a expressão "bobamas". O Noblat, o Lula, o Arnaldo Jabor, o Willian Wack, entre outros, são "bobamas". Segundo o articulista, cada um tem visto em Obama o que quer ver, o que sem dúvida é um enorme mal-entendido, porque ninguém pode ser o ídolo dos radicais, dos esquerdistas, dos moderados, dos sonhadores, dos pacifistas e dos condenados à pena de morte, ao mesmo tempo. Leia mais aqui, em espanhol.

Marcos Paulo - SP

Anônimo disse...

Vc é Bobama também?

Bobamas.

É de Federico Jiménez Losantos, do jornal El Mundo, da Espanha, a expressão "bobamas". O Noblat, o Lula, o Arnaldo Jabor, o Willian Wack, entre outros, são "bobamas". Segundo o articulista, cada um tem visto em Obama o que quer ver, o que sem dúvida é um enorme mal-entendido, porque ninguém pode ser o ídolo dos radicais, dos esquerdistas, dos moderados, dos sonhadores, dos pacifistas e dos condenados à pena de morte, ao mesmo tempo. Leia mais aqui, em espanhol.

Marcos Paulo - SP